participacao cidadã

Estamos ajudando os adolescentes a ter uma voz ativa e a se expressar para ter acesso aos seus direitos.

Em outubro de 2017, o auditório do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro foi palco de um debate sobre participação social e política baseada na vivência de aproximadamente 100 adolescentes.

Ao participarem da mesa de abertura, eles apresentaram sua perspectiva sobre como promover uma participação cidadã. Já no painel sobre Cidadania Ativa, os participantes debateram sobre os desafios e as oportunidades vivenciadas pelas minorias.

Adolescentes

Marcela e a porta para um mundo melhor

A participação cidadã dos adolescentes é um dos principais pilares da PCU. Foi assim que Marcela, de 14 anos, se engajou em debates, mesas de conversa e atividades divertidas para discutir a situação de adolescentes como ela.
Em atividades educativas e de lazer, os adolescentes também são instigados a conversar e aprender sobre temas como drogas, violência, acesso à cidade e direitos sociais. Na PCU, Marcela aprendeu e debateu com os amigos sobre caminhos para transformar sua cidade, Manaus (AM), em uma cidade melhor para as crianças e os adolescentes. Quando chegou, Marcela era calada e fechada em seu próprio mundo.“Interagir com as pessoas me ajudou muito. Minhas notas na escola também melhoraram”. “A PCU foi uma oportunidade, uma porta de entrada para um futuro melhor”, disse ela.


Hoje menina, amanhã mulher

HOJE MENINA, AMANHÃ MULHER

O projeto Hoje Menina, Amanhã Mulher foi criado para desenvolver políticas integradas para adolescentes, criar boas práticas de saúde por gênero e fortalecer a participação social das meninas. Para isto, foram preparados materiais de treinamento com os temas Saúde, Educação e Proteção Social e foco na igualdade de gênero e no empoderamento das adolescentes. Na mesma linha, nos bairros periféricos de Belém (PA), Recife (PE) e Salvador (BA), cerca de 200 meninas participaram de oficinas em que discutiram os desafios e as oportunidades para ter acesso a seus direitos e outros temas.

Em Belém (PA), o projeto se chama Empodera Mana e é o ponto de partida para que municípios, o UNICEF e as organizações da Sociedade Civil implementem, até setembro de 2018, um plano de ação com foco em políticas para meninas.

Situação mundial da infância

Pela primeira vez o relatório apresentou um olhar abrangente do UNICEF sobre as diferentes maneiras pelas quais a tecnologia digital está afetando a vida e as chances de meninas e meninos, identificando perigos e oportunidades. O material também trouxe grandes desafios que o Brasil ainda precisa enfrentar, como o número elevado de 45 mil crianças que morrem a cada ano antes de atingir os 5 anos.

Veja o relatório na íntegra aqui: http://uni.cf/2IDSXbY.